• PC Facts

Porque insistimos no PC Gaming ?


Já vencemos 9 meses de 2021 e ainda não conseguimos ter paz para pagar preços que achemos justos para aquilo que mais gostamos de fazer: jogar num PC. Mas eu parei para pensar por que insistimos no PC Gaming? Por que não saímos? Por que não procuramos plataformas mais custo-benefício? E eu quero que você entre nessa comigo. Diz aí, porque você não desiste do PC Gaming?

Eu vou dar as minhas razões. Vamos ver se você concorda.


Razão número 1: a biblioteca infinita de jogos

Quem tem um PC gamer já faz um tempo, usa Steam como biblioteca principal de games. E lá, turma, muita gente costuma juntar muitos games. Na minha biblioteca pessoal, somente na Steam, tenho 321 jogos. Se for somar Epic, Ubisoft Connect, Origin e agora o Xbox Game Pass, a lista de jogos que posso jogar nesse exato momento, é enorme.

Para galera que achou que a biblioteca infinita de jogos ao que me referia eram os jogos a venda para plataforma PC, também vale como argumento. Mas o que eu quero levantar aqui é que, não temos como simplesmente largar quase 400 jogos meus aqui para partir para uma outra plataforma do zero.

Razão número 2: eu não preciso de retrocompatibilidade

Quem tem PC, sabe. Quando você joga um game no lançamento, com uma placa antiga, você roda o game de forma a perder qualidade para o console da atual geração. Depois de um tempo, você melhora o PC, e já joga até com melhor qualidade o game do que em relação ao console. E com o passar do tempo, as tecnologias vão chegando e são plenamente aplicáveis aos jogos mais antigos, sem precisar de remasterização. Você consegue, no PC, rodar jogos de PS3, PS4 e agora PS5 com gráficos excelentes, sem precisar esperar uma remasterização. Você, a cada geração nova de placas de vídeo, pode reviver um game que curte em maior resolução, com melhor qualidade gráfica e com maior framerate sem precisar esperar um relançamento.

Razão número 3: Upgradabilidade - quem decide tudo, sou eu.

Se por alguma razão, meu orçamento tá apertado, eu troco de placa de vídeo, reduzo a qualidade e jogo exatamente os mesmos jogos que jogava. Porque são todos compatíveis. Isso não acontece quando eu saio de um PS5 para um PS4, por questões financeiras.

Se por alguma razão eu melhorei de vida, em vez de sair de um PS4 para um PS5, eu posso avançar um passo acima e superar a qualidade do PS5. Tudo vai depender do meu bolso e da minha vontade.

E se por alguma outra razão, eu quero aloprar e ter sempre o melhor do melhor, o PC é a única plataforma que me oferece isso. E isso me leva à quarta razão:


Razão número 4: PC não tem limites

O PC da gente, não tem limites. Você tá aí jogando num PS5. Ou XBOX SERIES X. São ótimas máquinas. Excelentes, na verdade. Mas se você quiser jogar em 144Hz, não pode. Ele não entrega. Se quiser, 240Hz, não tem. Se quiser 360Hz, nada feito!

Se quiser 8K, mesmo que com baixo framerate, só para ver como ficaria, não tem. Se quiser aloprar no RayTracing, num mod, num recurso novo, isso não é permitido em nenhum lugar com exceção do PC.

Os consoles até evoluíram legal ao deixar usar 120Hz com VRR, mas ainda tá longe de entregar uma experiência como a que um monitor de 240 ou 360 Hz oferece.


Razão número 5: da feita que eu usei o mouse...

Cara, eu não sei vocês, mas depois que eu pude experimentar a precisão de um bom mouse, eu não quis mais voltar para consoles. Ainda mais quando falamos de jogos em primeira pessoa. Mano, é muito melhor. Ao menos, para mim, né?

Fora que você ajusta e delimita o mouse do jeito que você quiser. Se você for canhoto, tiver pegada X ou Y, quiser um mouse pesadão, ou super leve... Tudo isso você tem direito. No console é aquele joystick lá e ponto.

Eles também deram uma melhorada nisso, mas, convenhamos, que não é a mesma coisa.


Razão número 6: Compatibilidade

Vocês já tentaram usar o fone favorito de vocês num console da SONY, por exemplo? Já tentaram conectar um microfone topo para fazer streaming? E quando ligou um home-theater que não seja por HDMI? Já tentaram conectar caixas estúdio neles? Já tentaram usar vários monitores? Ou mesmo que seja um, já tentaram usar um Ultrawide? Um SAMSUNG Odyssey Neo G9? Pois é. PC não tem problemas com nada disso. Colocou, brother, funcionou. E se não funcionou, é só achar um driver que pega.


Concluindo, cara... a realidade é que a única razão que de fato nos afasta do PC Gaming, hoje, é o preço. Porque de resto, sinceramente, não tem combate. Mas não desanimem. PC Gaming não vai acabar. Afinal, GeForce Now pode ser muita coisa, mas certamente não tem um monte dessas vantagens que eu acabei de mencionar.

Por mais que você possa dizer que o futuro é cloud Gaming – o que eu concordo - ainda vai haver espaço para quem não queira ser limitado por essa parada.

Nos resta torcer para que a tecnologia nos ajude como costumava ser: evoluir e ficar cada vez mais barato. E antes que você diga que hoje tá muito mais caro, lembre-se que em 2017, uma 1080Ti era sonho e hoje, uma 6600 XT já rende melhor que ela, custando menos.

Infelizmente, só não custa tão menos porque quando a 1080Ti lançou em março de 2017 o dólar era 3,12. Hoje, é 5,48. Se o dólar se mantivesse e a 6600 XT estivesse sendo vendida no MSRP, ela custaria uns 1600-2000 reais. Hoje, custa só o dobro disso.

Tomara que o PC Gaming um dia volte a ser o que era. Agora me diga você...? Porque insistimos no PC Gaming?